Crescimento pessoal

03/04/2019 08h00

O que é felicidade para você?

Definir ‘felicidade’ pode ser difícil. Sensação surge em diversos momentos.

Por Nosso Bem Estar

Nosso Bem Estar
Sec abr 02g13840

Definir ‘felicidade’ pode ser difícil. Sensação surge em diversos momentos.

A sensação de felicidade pode surgir a qualquer momento. Se há uma grande conquista profissional, os planos de uma viagem que estão dando certo, passar o dia com familiares, casar, tornar-se pai ou mãe.

Todo e qualquer tipo de situação que traga bem-estar pode resultar em uma sensação de felicidade, provocando alterações de âmbito emocional nas pessoas. Pesquisadores estudaram esse processo e identificaram quatro hormônios relevantes para que esse processo intenso aconteça.

Nós já falamos sobre isso por aqui no mês passado, por conta do Dia Internacional da Felicidade, e agora vamos continuar esse bate papo. Vamos entender melhor este assunto? Continue a leitura conosco!

A busca pela felicidade

Podemos dizer que é algo um bocado subjetivo, pois cada pessoa tem o seu ideal do que lhe realmente traz a alegria máxima. Alguns consideram que ‘felicidade é ter uma boa condição financeira’. Outros desejam ‘estar perto de amigos e familiares’ para serem felizes, e assim por diante.

Diante de um sentimento tão amplo, entendemos que as situações que trazem felicidade podem variar, de acordo com as características de cada pessoa e até mesmo com fatores externos.

É um engano pensar que você precisa alcançar apenas um objetivo para ser feliz. A realização de um sonho, sem dúvida, trará felicidade, mas algumas situações durante esse caminho também contribuem para isso. A busca pela felicidade é constante, já que os objetivos tendem a mudar no decorrer da vida.

Uma das vertentes da Psicologia, conhecida como Psicologia Positiva, estuda o tema. Nos anos 90, pesquisas feitas por universidades americanas apontaram que a felicidade pode ser definida como “um estado de completo bem-estar”. Para Martin Seligman, um dos pioneiros da Psicologia Positiva, esse sentimento de plenitude gira em torno de 5 elementos:

  • Emoções positivas: gratidão, prazer e alegria contribuem com a felicidade.
  • Engajamento: o comprometimento com atividades e o foco em algo extremamente relevante para você, pode aumentar a sensação de prazer.
  • Relacionamentos positivos: a presença de amigos, familiares e os relacionamentos saudáveis são significativos para dar sentido à vida e alcançar a felicidade.
  • Conquista: relacionada não somente a grandes objetivos, como viajar ou comprar uma casa, mas também à pequenas conquistas diárias como a superação de um desafio no trabalho.  
  • Propósito de vida: dar um sentido à vida é ponto importante para a felicidade. Para a psicologia positiva, o indivíduo precisa entender quais são seus sonhos e objetivos para atingir a realização plena.  

Entendemos que o alcance da felicidade não está relacionado apenas a um único objetivo, e pode ser compreendido como um processo constante, que envolve autoconhecimento para definir sonhos, objetivos e propósitos de vida. A felicidade pode ser conquistada em diversas áreas.

Efeitos da felicidade no corpo

Nosso organismo certamente é modificado a cada percepção do sentimento de felicidade. Médicos e pesquisadores tem se dedicado a estudar o assunto, chegando a quatro hormônios que são liberados quando estamos felizes: endorfina, oxitocina, serotonina e dopamina.

Loretta Breuning, pesquisadora e autora do livro “Hábitos de um cérebro feliz”, explica que a liberação destas substâncias traz felicidade. Contudo, é necessário esclarecer que esse processo não acontece o tempo todo; cada hormônio é liberado em determinadas situações, e a sensação gerada é passageira.

Saiba mais sobre cada um deles.

Endorfina

É o ‘analgésico natural’ para o corpo. Gera sensação de bem-estar, podendo ser liberada ao comer alimentos picantes, dançar, cantar, ver filmes tristes, fazer atividades físicas, entre outras situações.

Serotonina

É liberada quando há um ‘sentimento de importância’. Quando você se sente útil e engajado com determinada tarefa, seu organismo libera esse ‘hormônio da felicidade’. Por outro lado, a falta dele pode gerar solidão e depressão. Uma estratégia para elevar a serotonina é recordar momentos felizes.

Oxitocina

A oxitocina (ou ocitocina), está relacionada ao vínculo emocional. Esse hormônio é liberado durante o parto, para promover as contrações e estimular a liberação do leite materno. É responsável por desenvolver apego e empatia entre as pessoas, ou seja, quando é estabelecida uma relação de confiança com outros indivíduos. Um abraço, por exemplo.

Dopamina

A dopamina está relacionada com o prazer e a motivação. Quando há baixos níveis desta substância no organismo, o indivíduo costuma se sentir desmotivado, ter dificuldade de realizar as suas tarefas e buscar quaisquer objetivos. Situações agradáveis como jogos e atividades físicas, ou de prazer, como sexo, meditação e consumo de alimentos saborosos podem liberar dopamina.

A felicidade pode ser bastante subjetiva, já que cada pessoa tem seus objetivos, sonhos e situações que trazem esse nível máximo de bem-estar. Porém, algumas ações contribuem para a liberação de hormônios que favorecem esse sentimento.

X